image

O tempo passa muito rápido, logo, logo,aquela menina de maria-chiquinhas torna-se uma linda adolescente e tudo o que isto significa.

Uau. Que viagem!
Estou neste processo pela segunda vez, a mais velha já com 18, e nossa,não foi um período dos mais fáceis.
Nao. Eu ouso dizer. Agora atravessamos novamente esta nova etapa com a segundinha.

É um desparto (essa palavra existe? Kkk) total a adolescência. Um mundo á parte, onde eles são o centro das atenções, pelo menos eles se sentem assim, não que isto seja verdade, mas é exatamente assim.

Quer ler um exemplo?
Eu digo: Isa vamos tirar uma foto comigo para postar no Instagram ou snapchat?
E a resposta é:
-Ah, mãe, não quero, acho mico!
Olha isto gente!
Acha mico kkkkkk.

Na cabecinha deles, e com a exacerbação típica da fase, eles se sentem analisados, e todos os flashes apontados para as mini-celebridades que acreditam ser.

Lembrei de um capítulo do livro “Quem ama educa” do saudoso psiquiatra DR Içami Tiba, onde ele tem um capítulo inteiro dedicado á “onipotência juvenil”onde ele retrata muito bem, o comportamento dos adolescentes, á luz dos seus muitos anos, ouvindo e atendendo,pais e filhos.

A mente adolescente fértil e heróica
Manipula o conhecimento a bel prazer
Não há horas ou minutos – só infinitos segundos
Mais de meia hora não dura a onda
Mas que importa a racionalização?!
Se face à realidade que o ronda
Cuidados sociais não é preocupação?

A onipotência sucede a confusão pubertária, como um ensaio de organização psíquica.

Findas as palavras dos pesquisadores, entram aqui meus conselhos de mãe e pequenas advertências que fazemos, aliás, todas nós mães, fazemos o que podemos,não?

Filha, você pode pensar que nós adultos não lhes compreendemos (provavelmente porque já em algum momento, você falou comigo, e aparentemente eu não te ouvi, te escutei), mas não guarde dentro de si, tudo que pensa. Escreve. Pode ser num diário,ou mesmo no bloco de notas do seu celular. Ninguém precisa de saber que é você,sobre você.Mas deixa vir para fora, aqui para fora teus sentimentos. E depois leia o que você escreveu. Aprenderá várias coisas sobre você. Vai dar valor a algumas coisas e corrigir a maneira como vê outras. Vai ajudar, prometo. Quando se sentir mais confiante, e se quiser pode me escrever também, tudo que se passa em seu coração. Eu sei que conversamos muito, mas escrevendo eu posso guardar melhor suas palavras,além de em meu coração.Diz-me o que pensa. O que gostaria que fosse diferente. Se a forma como eu penso está a te ajudar ou não. Eu também preciso saber e só você pode me dizer. Pode ser que muitas vezes, apesar do meu coração estar no lugar certo eu não saiba como chegar a ti e nem você a mim.

Sonhe minha filha,não tenha medo de sonhar. Mas acima de tudo, sonha pela tua cabeça. Pensa naquilo que realmente deseja. Mas sonhe aquilo que você deseja,não o que os outros desejam ou espere de você. E principalmente seja feliz!

Por Andressa Machado

Compartilhar é um carinho💙