O poder do seu discurso interno,mãe!

Clarissa Pinkola Estés
“Mesmo que nossas próprias escolhas infelizes nos tenham desviado do curso – para muito longe de que precisamos – não vamos perder a fé, porque no interior da alma está o dispositivo de orientação de retorno. Todas nós podemos encontrar nosso caminho de volta.”

Eu gostaria de começar este texto de forma bem clara e objetiva,e rapidamente focar na mensagem principal, a qual fiz uma pequena introdução com o texto da Clarissa Pinkola, e que basicamente fala de resgate.

Podemos falar de resgate em vários âmbitos em vários setores, mas o resgate mais precioso que pode existir é o seu próprio.

Quando eu era uma jovem mãe, com a minha primeira filha nos braços eu não tinha ideia de muita coisa, e muitas situações que ainda viríamos a enfrenta, eu não tinha ideia de que poderia errar e me resgatar. A ideia que de maternidade que passamos a muitas novas mães é que elas só podem acertar.

Mas automaticamente a maternidade é algo que nos cobra resgate para podermos seguirmos em frente.
Ser mãe não te permite ficar esperando até termos 100% de certeza em algum assunto ou circunstância para só então prosseguir.

Não. A maternidade não tem muito ensaio, a coisa vai como sair mesmo. Você tem que resgatar sua auto-confiança mesmo que não se sinta 100% segura para prosseguir. Porque é necessário. E porque você toma decisões que não só afetam você como alvo mais direto e principal, os seus filhos.

Você resgata a vontade de superar-se, resgata a vontade ler, resgata a vontade de sonhar.

Resgate é sonhar, é plantar uma nova semente de esperança em si.

Quanto mais você ouvir seu discurso interno, quanto mais você confiar em sua sabedoria interna, mais você resgata sua autoconfiança, e isto te engrandece.

As vivências, as experiências que nos formam e nos transformam no decorrer da vida e da nossa maternagem.

Termino este texto, reforçando as palavras tão sábias do poema de Clarissa Pinkola Estés na introdução, que nos di para não perdermos a fé, e que todas podemos por mais longe que tenhamos ido, podemos encontrar nosso caminho de volta.

Um encontro amoroso com nós mesmas, nos aceitando como somos. Falhas e imperfeitas, mas essencialmente amorosas. E por isto cometemos muitos erros. Um grande beijo no coração de cada mãe que ler este texto.
Por Andressa Machado