Olá gestantes e futuras gestantes. O papo hoje é sobre Plano de Parto. Será que você precisa de um?

E a resposta para esta pergunta, independente de você mamãe ter escolhido um parto humanizado, cesariano, natural ou etc, é sim. Toda mulher gestante deveria ou deve ter um plano de parto.

  • O que é um plano de parto?
  • O plano de parto pode ser uma lista determinada pela mulher e os profissionais que a acompanham, onde ficam determinadas as condições que irão ocorrer no parto.
  • O plano de parto pode mudar de acordo com a evolução do pré-natal da gestante.
  • No plano de parto fica decidido tudo que vai acontecer com a gestante desde sua chegada ao hospital (caso tenha parto hospitalar), até a alta da mãe e bebê.
  • No plano de parto constam todos os procedimentos e intervenções DESNECESSÀRIAS que a gestante não deseja se submeter bem como seu bebê.
  • No Plano de parto deve ou pode constar a posição preferida pela gestante para parir, como por
  • exemplo de cócoras ou semi-sentada (costas apoiadas). Aqui neste site você pode baixar o seu modelo de plano de parto.
  • OMS (organização mundial de saúde), indica o uso de plano de parto desde 1986  baixe aqui .
  • Conhecer todos os direitos da gestante e do bebê ao fazer plano de parto é essencial.

Você conhece seus direitos de gestante? Vou deixar  aqui a cartilha da UNICEF para as mamães baixarem.

A gestante tem o direito de ser protagonista do seu trabalho de parto, a menos que uma intercorrência coloque em risco a vida de mãe e bebê. O indicado é que seu plano de parto esteja pronto antes do ´ltimo trimestre da gestação, ou lá pelos 7 meses.

Ter um plano de parto pode deixar a gestante muito mais segura, e diminuir a já conhecida ansiedade neste momento tão singular na vida da mulher. Claro que nem sempre isto acontece, como infelizmente ocorreu com a minha amiga e doula Alline, que ontem foi impedida de exercer sua função de doula aqui em um hospital de nossa cidade.

Quem nos acompanha no instagram acompanhou em nosso feed e nos stories, toda a indignação, com razão, a respeito do ocorrido. Vou deixar o post aqui pra vocês lerem:

A gestante em questão, seguiu para o centro cirúrgico, onde teve um parto vaginal, mas sem seguir o seu plano de parto, que incluía a companhia de sua doula. que foi impedida de entrar. Como podem ver, mesmo tendo uma lei municipal “lei da doula”neste caso ela não foi respeitada, embora recomendada pelas diretrizes de atendimento ao parto e ao nascimento.

Espero que em um futuro próximo, mais gestantes tenham respeitados seus planos de parto. E que possamos vir em breve contar histórias de sucesso, e incentivar e informar cada vez mais as gestantes e futuras gestantes.

Um beijo

Andressa