image

Quando eu li este texto do Dr Carlos Gonzalez eu tive certeza que teria que compartilhar o máximo possível. Porque gente, quando precisamos ouvir de outras pessoas algo que deveria ser instintivo, é porque algo se perdeu há muito tempo.
É preciso resgatar a nossa segurança para parir, amamentar, fazer dormir,alimentar, não deixar chorar, e quando falamos não deixar chorar , quero dizer atender o choro do seu filho, que sempre é mais, emocional do que outra coisa, (quando são recém-nascidos), é choro de querer pai ou mãe, apenas! Aconchego, acalanto, segurança. Depois que nosso site participou como convidado do lançamento do livroMeu Filho não come aqui no Brasil e pudemos ouvir as palavras e sabedoria do mais que pediatra, Mestre Carlos Gonzalez, fiquei ainda mais fã. Acompanhem o texto abaixo

Há livros, sites, palestras e grupos de apoio para ajudar quem quer amamentar. As mães já não sabem dar de mamar?
As mães sabem dar de mamar. O problema é que, há mais de um século, os profissionais lhes dão informações erradas. Durante milhares de anos, as mães deram mama seguindo os seus instintos ou com a ajuda das suas mães e avós. Agora, as mães desconfiam dos seus instintos porque ouvem pessoas que lhes dizem coisas sem sentido. Dizem-lhes para não dar mama, para não dar mama de noite, para não pegar o bebé ao colo. E como muitas avós já não deram peito não podem ajudá-las.

Então, não conseguem mesmo dar de mamar sozinhas?
Sim, mas saberiam facilmente se as deixassem em paz. É claro que as mães precisam de informação – desde que correcta – e é bom que durante a preparação para o parto recebam informação adequada. Mas o mais importante é que não haja obstáculos à amamentação, que nos hospitais não separem o bebé da mãe, que não dêem biberões e chupetas ao bebé, que não digam à mãe «tens que dar mama de três em três horas» ou «só podes dar mama durante 10 minutos». Têm de deixá-las em paz. Mesmo assim, é natural que algumas mães tenham dificuldades e essas precisarão de apoio.

Amamentar pode ser muito cansativo. É preciso acordar à noite, por vezes mais do que uma vez, para dar de mamar, ir trabalhar no dia seguinte e conciliar isso com todas as outras coisas que uma recém-mãe tem de fazer.
Ir trabalhar no dia seguinte a seguir a dar de mamar durante a noite é que é cansativo. Hoje em dia, está a dizer-se às mães que primeiro é preciso obedecer ao patrão. E o patrão tem direito a obrigá-la entrar à hora certa e a chamar-lhe a atenção se se atrasa cinco minutos. Se um bebé chama a mãe e, por ela demorar cinco minutos, começa a chorar, dizem que é um mal-educado porque não sabe esperar. Claro que não sabe esperar, não compreende que a mãe tem outras coisas para fazer.
O problema é que pomos as necessidades das mães e das crianças no final das prioridades. O trabalho é cansativo, tem de fazer-se entre determinadas horas e não se pode falhar. Além disso, é preciso fazer muitas outras coisas. Mas ninguém diz às mães para não passarem a roupa a ferro ou para não fazerem o jantar, por exemplo. Em vez disso, dizem-lhes para não pegar no bebé ao colo ou para não ligar quando ele chora. Mas isso é que não se pode deixar de fazer. Se não passarem a roupa a ferro não acontece nada. Mas quando o bebé chora quer dizer que se passa alguma coisa.
alt
Ainda se fala muito em horários para dar de mamar. Mas a maioria dos bebés não cumpre um horário regular…
A maioria dos bebés mama umas 10 vezes por dia. Mas também pode mamar 8, 10 ou 12. É normal mamar um pouco, soltar a mama e, passado um pouco, voltar a mamar. Não deve haver horas marcadas para dar mama, o bebé é que decide. Mas se um bebé mama 25 vezes por dia, às vezes está uma hora ao peito e passa o dia a chorar pode ser sinal de que não está a mamar bem. Pode, por exemplo, não estar a pegar bem na mama. Neste caso, a mãe precisa de ajuda de um grupo de mães, de uma enfermeira ou de um pediatra que perceba de amamentação.

O normal é os bebés não terem regras para mamar?
Sim. Quer dizer, os bebés não mamam de três em três horas ou de quatro em quatro horas, mas também não mamam de hora a hora ou de duas em duas horas. Normalmente, um bebé mama três ou quatro vezes muito seguidas e depois pode dormir várias horas consecutivas.

Ainda há muito a ideia de que os bebés só comem e dormem. De onde vem esta ideia?
Não sei. Eu acho estranho que as mães digam «tenho um bebé muito bom, só come e dorme», mas que nenhuma mãe diga «tenho um marido muito bom, só come e dorme». Não é bom só comer e dormir. Isso não é ser bom. Usamos classificações morais erradas para os bebés. Um adulto é mau quando mata, quando rouba, mas um bebé é mau quando chora. Não tem lógica. Isso não é ser mau, é ter instinto.