O puerpério é um mergulho dentro de si,é uma nova pessoa emerge deste momento,por vezes irreconhecíveis para nós mesmas.Precisamos falar sobre isto!Texto forte para as puérperas que amo postar!
Não há como se preparar para o puerpério. Ninguém está preparado para saber como é a morte. Podemos ter nossas crenças religiosas, podemos ter referências, mas a verdade é que a gente tem um medo danado do desconhecido. O pós parto é viver em vida a morte do que fomos e daquilo que jamais será igual.
No caso da maternidade é ainda mais difícil porque nos fazem acreditar que o paraíso mora ali, logo depois que o bebê vem ao mundo. Diferente da morte que erroneamente nos é dito para evitar a qualquer custo. Não lemos as letras miúdas do contrato. Ninguém sabe o que é esse palavão: puerpério.
Primeiro a gente espera nove meses para aquela sensação de plenitude transbordar. No terceiro trimestre a gente se sente linda, plena com aquele barrigão. Somos paparicadas, acalentadas. Mil telefones, minos e carinhoso.
O parto pode ser um êxtase com dor, para o qual a gente, principalmente de primeiro filho, não sabemos ao certo o que será. Ou uma dor de frustração. Mas ver aquela coisa pequena no nosso colo desperta os sentimentos mais dúbios do planeta.
Medo é o maior deles. Talvez como como de esperar encontrar o paraíso depois da ponte se deparar com uma árdua estrada. Mas você está exausta e só queria um tempo para se recuperar. Não há.
O puerpério é solidão. Morremos. Uma instância de nós se vai. A vida muda radicalmente. A minha foi num pacote master plus: mudar de estado, estado civil, de casa, de sonhos, de rotina, de amigos. Sem ao menos saber como fazer para uma casa funcionar, como estaria eu apta para cuidar de outro ser?
Esse monstro também assola os homens. eles também não estão preparados para perderem a mãe, digo a mulher. De não ter espaço naquela relação fechada. Os homens surtam. Mas surtam daquela maneira masculina: calados, distantes.

Puerpério mergulho dentro de si

Puerpério mergulho dentro de si